A primeira parte de nossa viagem rumo a Europa teve conexão em Buenos Aires, não é uma rota comum para os viajantes, pois de São Paulo descemos praticamente toda a América do Sul e depois subimos novamente rumo a Europa, mas foi a opção que tivemos para uma compra que não foi feita com muita antecedência, algo que sempre desaconselhamos, mas desta vez foi necessário por conta dos negócios. O preço não era o dos melhores, mas pelas circunstâncias foi razoável.

Esta conexão se mostrou um desastre, a idéia que parecia aceitável, na pratica foi totalmente falha, infelizmente por culpa da Aerolineas Argentinas (veja o post do caso), aproveite e confira também aqui mesmo no Viajando no Mundo o ranking de companhias aéreas que será atualizado a cada nova viagem.

Normalmente os preços praticados nos aeroportos são salgados, mas nos aeroportos de Buenos Aires passam um pouco do limite, uma lata de coca-cola custa R$ 7,00 e uma baguete com frios sai por R$ 17,00. Quem quiser economizar um pouco, próximo dos toaletes na área dos portões de embarque tem bebedouro, pois a água custa R$ 6,00 a garrafinha.

A temperatura em Buenos Aires estava em 32 graus, prevendo o clima quente preparei um upgrade de roupa no avião para Madri, o que neste vôo se mostrou algo normal, pois muitos passageiros fizeram o mesmo. Levei na bolsa de mão um sapato fechado, um cachecol e troquei a camiseta. Dentro de um nécessaire levei lencinhos umedecidos, desodorante e outras coisinhas para me higienizar no toalete da aeronave.

A temperatura no desembarque em Madri estava em 5 graus, mas dentro do aeroporto nem se percebe o frio. Pegamos o carro no Aeroporto Barajas, mas para quem pegará o metrô, o acesso é muito facilitado dentro do próprio aeroporto.

Chegamos a Madri por volta das 11 horas da manhã, fomos para o hotel (que foi um achado), fizemos check-in antes das 14 horas e aproveitamos a tarde para dar uma passeio.

Tags:

Deixe uma resposta