Um dia em Assis, a cidade de São Francisco na Itália.

Um dia em Assis, a cidade de São Francisco na Itália.


Sempre tive uma grande admiração por São Francisco de Assis, pela sua história e pelo desafio a tudo e a todos, inclusive à própia igreja e o Papa, em nome da humildade. A renúncia de todos os bens materiais e da própria família em nome daquilo em que acreditava.

A minha vontade de conhecer Assis já era antiga, mas em nenhuma das outras vezes que estive na Itália tive a oportunidade, embora a Itália não seja assim tão grande, a variedade de lugares e cidades para se conhecer é imensa e sempre acabava não dando tempo. Mas em 2007 foi diferente, pois planejamos um tour Grécia/Itália e saindo da Grécia atravessamos para a Itália de navio pelo Mar Adriático. Chegamos em Bari, alugamos um carro para subir a Itália e logicamente dessa vez não perdi a oportunidade de passar por Assis para conhecer.

A cidade fica no alto do Monte Subasio e seu aspecto medieval com suas ruas e vielas estreitas é o que mais fascina, você realmente sente que voltou no tempo e que está na época das cruzadas. Passamos o dia inteiro caminhando, conhecemos a Igreja de Santa Clara, onde se encontra o corpo de Santa Clara, tiramos fotos com os franciscanos que haviam por lá, fomos á Basílica de São Francisco e depois a “Piazzetta di S. Francesco Piccolino” que segundo consta, foi onde ele viveu em sua infância. Nessa praça encontramos uma estátua erguida em homenagem aos pais de São Francisco e também uma pequena igrejinha que ao que parece também foi o cárcere.Lá também encontramos exposta a batina que pertenceu a São Francisco, já surrada pelo tempo, para mim essa visita a Capela foi a parte mais emocionante da visita a Assis, não por nenhum motivo de  religiosidade, mas sim pelo fato de saber que uma pessoa tão humilde e ao mesmo tempo tão grandiosa deu seus passos por ali.

Falando em emoções, outro fato ocorreu que também nos provocou fortes emoções, só que de uma maneira totalmente diferente. Depois de caminhar o dia inteiro pela cidade, retornamos a Piazza Del Comune e resolvemos tomar um sorvete para relaxar um pouco antes de irmos procurar o albergue da juventude na cidade, tomamos nosso sorvete e saímos para ir pegar o carro, só que no caminho, a minha esposa Paula vê um guincho subindo a rua carregando um carro e me disse – “João, não é o nosso carro?”, respondi quase que por impulso, não querendo acreditar: – “Imagina, você acha?”, só que ao olharmos para trás e vermos o guincho passando com o carro pendurado, vimos pelo vidro na parte de trás do carro, minha inconfundível toalha vermelha que eu havia deixado esticada por cima das bagagens no porta-malas.Nessa hora tivemos a certeza de que realmente erra nosso carro.

A partir desse momento a cena foi hilária, A Paula saiu correndo atrás do guincho, eu logo atrás e nossas amigas Cléo e Andréa sem ainda entender o que estava acontecendo, correndo atrás da gente. Embora o guincho não estivesse andando assim tão rápido, não conseguíamos alcançá-lo, resolvemos tomar um táxi para ir atrás dele, foi aí que a emoção ficou completa, o motorista do táxi era um senhor que aparentava ter mais de 80 anos e tremia freneticamente, nada contra, afinal todos vamos chegar a essa idade e é totalmente compreensível, mas acontece que víamos nosso carro se afastando e mesmo depois de estarmos todos dentro do carro e explicado para ele seguir o guincho, ele demorou uma eternidade para sair do lugar.
Finalmente o senhor engatou uma marcha e saímos atrás de nosso carro, mas na velocidade que ele dirigia o carro, a gente só via o guinho se afastando cada vez mais, além dos carros que iam ultrapassando o velhinho, a única coisa que ele fazia ao invés de ultrapassá-los novamente para alcançarmos o guincho, era ficar buzinando e dando farol para o carros, realmente era uma comédia. Graças a um cruzamento de uma linha de trem, onde o guincho foi obrigado a parar porque passaria um trem naquele momento, conseguimos alcançá-lo.

Só sei que o velhinho gritava com o motorista do guincho e perguntava se ele pretendia chegar a Perugia, mas eles responderam que iriam deixar o carro em um pátio de uma “espécie de Detran” próximo ao local e que só poderíamos retirar o carro nesse pátio, então deveríamos continuar seguindo atrás deles. Inacreditavelmente chegamos e conseguimos resgatar o carro depois de pagar uma taxa de 70 euros, mas o que mais eu queria realmente saber era qual o motivo  do carro ter sido guinchado, pois eu havia parado o carro em um local que não tinha nenhuma sinalização dizendo que era proibido. A explicação que tivemos foi a de que naquele local não era proibido estacionar, mas como o Papa Bento XVI iria fazer uma visita à cidade no dia seguinte e que aquela área toda onde nosso carro estava ia ser evacuada, nenhum carro poderia estar estacionado ou estacionar naquele local a partir das 17 hs. Resumindo, placa de aviso que é bom não existia, tivemos que engolir e pagar né? Fazer o que?

Tirando o episódio do carro, a visita foi maravilhosa e recomendo a todos que não deixem de visitar, Assis é imperdível. Só que se alguém vier de carro, não esqueça de pesquisar se algum Papa não resolveu fazer uma visita a cidade na mesma época… rsssssss!!!!

Dicas e locais para visitar em Assis:

» Basílica de São Francisco de Assis

tel.: 075819001
Fax: 0758190035

Parte Inferior:
Aberta da Páscoa até Novembro:
durante a semana: das 6.30 -18.50
dias festivos: das 6.30 – 19.15
Aberta de Novembro até a Páscoa:
diariamente das 6.30 – 18.00

Parte Superior:
Aberta da Páscoa até Novembro:
durante a semana: das 8.30 as 18.50
dias festivos:  8.30 – 19.15
Aberta de Novembro até a Páscoa:
diariamente: 8.30 – 18.00

» Igreja de Santa Clara de Assis

tel.: 075 812282

Fax: 075 816827

Horários: das 6.30 até 12.00 e das 14.00 até 19.00

» Rocca Maggiore de Assis

Piazza delle libertà Comunali,
tel. e fax: 075 812033
Aberta de setembro a maio: das 10.00 h ao pôr do sol
Aberta da junho a agosto: das 09.00 h ao pôr do sol
Fechada em 25 de dezembro e 1 de janeiro
Ingresso: inteiro € 2.00
Reduzido: € 1.50

» Catedral de São Rufino de Assis

tel. 075 816016
Fax: 075 812283

Catedral
diariamente 8:00 – 13:00 h  e 14:00 – 18:00 h
Durante a Semana Santa : 7:00 -19:00 h

Museu da Catedral:
Piazza de San Rufino, 3
06081- Assis
tel. : 075 812283, 075 816016
Verão Horário: 16 março – 15 outubro 10:00-13:00 / 15:00-18:00
Inverno Horário: 16 outubro – 15 março 10:00-13:00 / 14:30-17:30
Fechado: Quarta-feiras, 1 de Janeiro e 25 de dezembro

Ingresso: € 3,00
Ingresso reduzido A: 2,50 € para grupos de 10 pessoas com mais de 60 anos, jovens menores de 18 anos, estudantes universitários com carteirinha válidas, viajantes com bilhetes de outra rede de museu eclesiástico na Umbria
Ingresso reduzido B: 1,00 € para grupos de no mínimo 30 pessoas;
Grátis: menores de 12 anos, guias turísticos com patente, acompanhantes turísticos autorizados, jornalistas, curadores.

» Piazza del Comune e Templo de Minerva de Assis

» Palácio del Capitano del Popolo e Palácio dei Priori

Pinacoteca Comunale
Palazzo Vallemani, via di San Francesco 10,
tel.: 075 812033
site: www.sistemamuseo.it
Aberta de novembro a fevereiro: 10:30-13:00 h e 14:00-17:00h, nos demais meses aberta das 10:30-13:00 h e 14:00-18:00h. Em junho, julho e agosto até às 19h00.

» Igreja de São Pedro de Assis

tel. : 075 812311
Fax: 075 816650
Horário das  8:00 às 18:00 h

» Piazzetta di San Francesco Piccolino e sua capela

Deixe uma resposta